Obra protegida por direitos autorais

A Sinhá Desaparecida - Lendas Urbanas

Lendas Urbanas - A Sinhá Desaparecida

Enviada por Nathalia Alvarenga. Ótima Lenda Urbana, parabéns a autora.

Há mais de 200 anos, havia uma fazenda de café na região de Barra Velha, no município de Ilhabela, litoral norte de São Paulo. O dono desta fazenda era um velho coronel aposentado, de índole questionável, e casado com uma mulher bem mais jovem que ele.

Depois do almoço, o coronel tinha o hábito de tirar um cochilo, e nesta hora, a Sinhá se encaminhava para o meio do matagal que rodeava a fazenda para se banhar na cachoeira, que ficava a curta distância da propriedade de seu marido.

No século XVIII, as fazendas de café funcionavam baseadas no trabalho escravo e os negros, propriedades dos barões, eram marcados com argolas de ferro no nariz ou nos calcanhares. Isso para garantir que não fugiriam ou se passariam por alforriados, ainda raros nesta época.

E eis que um dos escravos da fazenda a qual nos referíamos, mais rebelde, encontrava-se justamente próximo à cachoeira quando a Sinhá se aproximou para o banho. Tirou a roupa e, completamente nua, pôs-se a se refrescar debaixo d’água.

Tomado de desejo e após um tempo observando aquela bela silhueta se banhando, o escravo não agüentou e se revelou perante a Sinhá. E sem dizer nada, avançou em sua direção e abusou dela, saciou-se de seu desejo à força, contra a vontade da Sinhá.

Quando ela colocava a roupa para ir embora, chorando e muito assustada, foi que o escravo se deu conta do que havia feito. E temendo um castigo mais duro do seu cruel senhor, pegou um pedaço de pau e bateu com toda a força na cabeça da Sinhá, pelas costas, perfurando o crânio dela.

O escravo empurrou o corpo da Sinhá para a água e fugiu mata adentro, com medo de ser descoberto pelo coronel e nunca mais foi visto. O corpo desapareceu na cachoeira e nenhum vestígio da Sinhá foi encontrado.

Hoje, dizem os que ousaram se banhar na cachoeira, é que bem ao longe, dá pra ouvir os gritos e as súplicas da Sinhá, desesperada, gritando por socorro. Dizem também que é possível escutar o escravo, que apesar de continuar desaparecido, parece continuar vivendo na mata próxima a cachoeira.

15 comentários:

Terror total !!!! disse...

isso e verdade ou e so uma lenda?

Raah disse...

Muitoo boaaa trutaa , see ta lokoo um baguio desse daa móo medoo Jãoo !!!! Mentira gentte eo não falo assim tta ? Maiis a lendaa é muito boa !

matheus disse...

essa lenda é real ou algo do genero , se for real me diga , me mande um email : matheusdidonato@yahoo.com.br com o endereço , quero tentar se aproximar disso...

renata e rachel farias disse...

meu deus olha eu estou apavorada aki em casa.

lindas disse...

marcella e alissa


vocês são muito medrosos.

DINOSSAURO disse...

Parabéns ao pessoal do site, é muito bom, os tópicos tao todos bem organizados e selecionados.

PS: tenho jeito para escrever algumas histórias, vou enviar-vos algumas coisas só para verem se quiserem podem postar! :)

rebeca disse...

ai medrosos

@ηubiαrα_ disse...

isso e verdade ja aconteçeu comigo um dia eu fui na fazenda,uma familia tinha falecido.dai eu e minha prima apostamos para ir ver oq ue tinha na casa.nois vimos a familia pedindo socorro e falando para nois ir embora se nao e gente morria assasinada!!

caveirinha disse...

legal muito interessante

patrick_11 disse...

muito legal se eu pegasse aquele escravo ele ia ver :com os olhos

acarolinadacruz@gmail.com disse...

Muito boa a lenda,meu filho d 8 anos gosta muito de lendas urbanas assim como eu e nos gostamos quando os viloes se dao mal no final. Abraco e parabens pelo site

Beathriz Santiago disse...

Nosssa essas lendas estão muito pancas vei.. Adorei e amei a lenda "A babá e o Palhaço"... Parabéns pro site muito top!! bjsssss por: Babí Santos

alicy coelho disse...

Super Legal eu e meu irmão de 17 anos adoramos historias assim é muiito bom o site parabens !!!

Anônimo disse...

Fez zizi naz kalxas

Ha! Tipegei

Anônimo disse...

medoooooooooooo