Obra protegida por direitos autorais

Creative Commons License
Histórias de Terror by Paulo Enrique Garcia is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

O site Contos e Histórias de Terror, proíbe qualquer republicação de todas obras contidas aqui com direitos a Paulo Enrique Garcia. Sejam elas em sites, blogs e youtube. Todos infratores serão penalizados de acordo com as leis de direitos autorais brasileiras.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

quarta-feira, abril 11, 2018
3
Conto de um metrô de Nova York

Escrita Por: Collin Thompson
Traduzida por: Paulo Enrique Garcia

Uma garota chamada Laura estava voltando do trabalho tarde da noite em Nova York. Ela estava um pouco nervosa por pegar o metrô tão tarde da noite, mas ela imaginou que provavelmente não haveria muitas pessoas andando de metrô naquela hora, então ela decidiu economizar o dinheiro do  táxi e pegar o metrô de qualquer maneira.

Quando chegou lá, ficou surpresa ao ver que na verdade haviam três pessoas sentadas ali: dois homens grandes e de terno, com óculos escuros e uma menininha entre eles. Laura ficou surpresa ao ver uma garota tão jovem no metrô a essa hora da noite, mas com base em como ela estava vestida e seus óculos escuros de grife, Laura imaginou que os homens de terno eram guarda-costas da filha de alguém rico. Ela se sentou em frente ao trio; se alguém mais lhe desse problema, tinha certeza de que esses homens fortes a ajudariam.

Na próxima parada, um homem de vinte e poucos anos entrou no metrô na outra ponta do vagão de Laura. Ele estava claramente muito, muito cansado e bastante desleixado. Sua camisa estava enrugada e definitivamente não estava limpa e ele tinha o que parecia ser um dia de barba por fazer. O homem era exatamente o tipo de indivíduo que Laura esperava evitar em sua volta para casa, mas a figura certamente não era páreo para os homens sentados à sua frente.

Enquanto o metrô prosseguia, Laura notou algo estranho. O homem do outro lado do carro olhou para Laura, depois para os homens, depois para a garota e de volta para Laura. Ele fez isso várias vezes antes da próxima parada, quando se levantou e sentou-se algumas cadeiras mais perto de Laura, dos homens e da menininha. Compreensivelmente nervosa neste momento, ela ainda estava confiante de que os homens de terno poderiam lutar contra a o rapaz.

No entanto, os homens não se mexeram, mesmo quando o homem de aparência desarrumada repetiu o processo de olhar para os outros passageiros antes de mover-se alguns assentos mais perto. Depois de várias paradas, ele estava sentado quase ao lado de Laura e, no entanto, ela era a única que parecia incomodada, os homens de terno e a criança permaneciam sem reação.

O coração de Laura bateu quando ela contou mais duas paradas até o apartamento dela. Quão longe os seguranças deixariam o rapaz avançar? Com medo, Laura percebeu que o metrô estava diminuindo à medida que se aproximava da próxima estação. No instante em que as portas se abriram, o estranho agarrou-a pela cintura e carregou Laura, gritando, para fora do metrô. O rapaz a colocou por cima do ombro e correu o mais rápido que pôde, visões de ser roubada, estuprada e assassinada estavam passando por mente. Eventualmente, o homem a colocou no chão. Ele estava ofegante. Ele rapidamente exclamou:

"Senhora, preciso que você se acalme. Meu nome é John, sou estudante da Escola médica de Columbia, trabalho com cadáveres o dia inteiro e te garanto que aquela garotinha não estava viva.”

3 comments:

Leandro Silva Santos disse...

Gostei

Rafael Marchesin disse...

Talvez tenha sido um pouco estranho esse conto, mas gostei. Não tão assustador, com um final um tanto aberto. Afinal, o que eram aqueles três? Vampiros, talvez?

Leandro Silva Santos disse...

Rafael, eu acho que os caras de terno assasnaram a garotinha e andavam com o cadáver como se ela estivesse viva. O cara estranho na verdade, vendo aquilo, salvou a a personagem tirando ela do vagão.